O Mundo segundo a Monsanto


A tecnologia utilizada na criação de plantas transgênicas é de tal forma onerosa que apenas é acessível às grandes empresas. Tendo ficado conhecida como fabricante do PCB (piraleno), o agente laranja usado como herbicida na Guerra do Vietname, e de hormonas de aumento da produção de leite proibidas na Europa, a Monsanto domina o mercado mundial das sementes transgênicas com mais de 90% da área total de culturas transgênicas.
Esta empresa colossal sediada no Missouri, Estados Unidos da América, comprou ou estabeleceu acordos comerciais com as maiores empresas de sementes americanas e internacionais como a Calgene, a Asgrow Agronomic, a Delta & Pine Land, a Monsoy, a Cargill e a Dekald Genetics, ficando a ser conhecida como a responsável pelo fabrico de sementes transgênicas, já que as restantes que as fabricam são irrelevantes ao lado da Monsanto.
Devido às leis das patentes, os agricultores de culturas não transgênicas que, por azar, sejam contaminados pelo pólen de plantas transgênicas, são obrigados a pagar indemnizações à Monsanto por uso de sementes transgênicas não autorizado, para além de ficarem sem as suas culturas (para a Monsanto). A Monsanto dedica um orçamento anual de 10 milhões de dólares e uma equipa de 75 pessoas (chamados de “policias das sementes”) à investigação e extorsão legal de produtores, tendo já levado a tribunal 90 casos, dos quais envolvem cerca de 150 agricultores e 40 pequenas empresas em 25 Estados americanos, sempre sob a acusação de terem usado, sem autorização legal, sementes transgênicas patenteadas. Num só caso a Monsanto chegou a ganhar 3 milhões de dólares e as multas e condenações impostas aos agricultores pode chegar aos 15 milhões de dólares.
De um modo geral, os agricultores que não pretendam cultivar com sementes geneticamente modificadas e optem pelas convencionais ficam sujeitos à disseminação das sementes das plantas transgênicas que caiam nos seus campos e serão acusados de uso ilegal de sementes transgênicas ficando sem as suas culturas e ainda pagando coimas como as já referidas.
A contaminação é imparavel, pois os grãos de pólen podem percorrer distâncias na orem dos 180 Km por dia. Esta gerou uma preocupação geral em toda a agricultura, já que nem mesmo os agricultores que não usam OGM ficam imunes. Com o passar do tempo a Monsanto e outras indústrias tentaram convencer públicos e governos de esta contaminação com substâncias benéficas e industriais é aceitável e quem se opuser é “fundamentalista” e “anti progresso”.

Fonte:  www.ogmespan.blogspot.com.br

Comentários

  1. Mais essa, a cada dia que passa tristemente descubro novos tentáculos dessa corporação, eles vão atropelando tudo e tem um só objetivo, o domínio mundial da cadeia alimentícia. Temos que blindar o Brasil contra esse mal.

    ResponderExcluir
  2. Quanta ignorância...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde senhor anônimo....poderia explicar onde viu tanta ignorância? Bom supondo que se referiu ao artigo, se quiser deixe claro onde viu tanta ignorância...Aproveitando se puder se identificar é melhor, fica mais educado e da peso aos argumentos apresentados, logico se preferir também poderá criar um BLOG e defender seu ou seus pontos de vista com embasamento (fica como dica ok). O Blog agradece sua visita e convida para ver as demais matérias e aprender sobre vários assuntos.

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas