TURISMO RURAL E ECOLÓGICO


O turismo rural e ecológico constitui-se de uma atividade não agrícola, porém que é desenvolvida no ambiente rural. É uma modalidade de turismo que vem crescendo concomitantemente com o aumento da consciência ecológica da sociedade em geral. Com todas as mudanças que vem ocorrendo no meio rural, a modernização da agricultura e a consequente pressão sobre a agricultura familiar, a diversificação de atividades no ambiente rural contribui para a fixação do homem no campo.
De acordo com o Ministério do Turismo, 2012, ecoturismo é o segmento da atividade turística que utiliza, de forma sustentável, o patrimônio natural e cultural, incentiva sua conservação e busca a formação de uma consciência ambientalista por meio da interpretação do ambiente, promovendo o bem-estar das populações.
Já o Turismo Rural propriamente dito é o conjunto de atividades turísticas desenvolvidas no meio rural, comprometido com a produção agropecuária, agregando valor a produtos e serviços, resgatando e promovendo o patrimônio cultural e natural da comunidade.
No entanto, o ecoturismo pode estar inserido dentro do turismo rural sem comprometer suas premissas. O turismo rural pode ser uma valiosa alternativa para produção extra de renda para proprietários rurais e ao mesmo tempo para conservação e preservação ambiental. O agroturismo deve seguir alguns princípios para seu desenvolvimento.
Frequentemente a população urbana associa o ambiente rural à qualidade de vida, representa uma oportunidade de conhecer outro modo de vida, paisagens e festas tradicionais.
Aliado às belezas naturais do lugar, a oferta de serviços diversificados para atender as expectativas de turistas pode reforçar a renda e desenvolvimento de pequenas cidades. Pousadas, passeios e produtos alimentícios e não alimentícios produzidos artesanalmente são algumas possibilidades e atrativos.
O turismo rural pode acontecer periodicamente, em épocas pré-determinadas de acordo com as potencialidades da região, não interferindo no trabalho local e de modo a fornecer conhecimento aqueles que nunca tiveram contato com atividades rurais.
Muitas cidades têm procurado desenvolver o turismo rural interessados em benefícios de ordem econômica e social.
O que mais está envolvido
• Geração de novas oportunidades de trabalho e renda;
• Incorporação da mulher ao trabalho remunerado;
• Agregação de valor ao produto primário;
• Diminuição do êxodo rural;
• Melhoria da infraestrutura de transporte, comunicação e saneamento no meio rural;
• Melhoria dos equipamentos, dos bens imóveis e das condições de vida das famílias rurais;
• Interiorização do turismo;
• Conservação dos recursos naturais e do patrimônio cultural;
• Promoção de intercâmbio cultural e enriquecimento cultural;
• Integração das propriedades rurais e comunidade local;
• Valorização das práticas rurais, tanto sociais quanto de trabalho;
• Resgate da autoestima do campesino.
Entretanto, para que o turismo rural tenha êxito e consiga aliar a geração de renda extra para produtores rurais, proporcionar bem-estar a turistas estressados com as complicações vividas nos grandes centros urbanos e ainda preservar o meio ambiente e os costumes da região é preciso partir de um ponto fundamental: o planejamento da propriedade e da paisagem. E para promover o desenvolvimento dessa atividade de forma sustentável o planejamento deve considerar as condições locais.
Uma maneira para começar o planejamento é identificar as potencialidades da região: quais os recursos naturais existentes nas proximidades, a existência de festas populares tracionais e época da ocorrência do evento, beleza cênica natural, tradições, e atividades agrícolas que motivem o deslocamento dos turistas.
Uma vez identificados os fatores atrativos é preciso garantir sua permanência do modo como elas se apresentaram. Se a região possuiu uma maneira peculiar de colher uma espécie de fruta e preparação de um doce típico da região, esta atividade deve ser mantida sem que haja descaracterização, mesmo que o turismo rural passe a ser o foco da geração de renda. Isso valoriza a proposta.
Outro fato a se considerar, é que a proposta de turismo rural se fortalece à medida que as potencialidades de uma propriedade se integram com a paisagem ao redor e todos os seus elementos. Então, se o doce típico da região for fabricado em mais de uma propriedade e, além disso, no entorno das propriedades rurais houver belas paisagens contendo cachoeiras, isso aumenta a chance do êxito do turismo rural.
Nesse sentido, podemos dizer que a cooperação e o estabelecimento de parcerias podem alavancar o turismo rural de uma determinada região, pois agrega forças e facilita a divulgação do empreendimento.
Além do estabelecimento de parcerias, o envolvimento da comunidade é essencial para que o projeto dê certo. Você se imagina viajando para uma cidade com belas cachoeiras e trilhas ecológicas que apresentam em todo seu percurso, várias espécies de orquídeas de diferentes cores e tamanhos, porém para desfrutar desses encantos você antes não foi informado corretamente pelos moradores locais sobre tais passeios? E se para agravar a situação você tivesse sido recebido com desdém pelos funcionários da pousada? Você recomendaria para sua família conhecer o local? Você retornaria à região ou buscaria conhecer outros lugares? Afinal seria uma nova chance de curtir a natureza.
O compromisso dos moradores é fundamental! Se ao invés de se sentirem motivados pelas oportunidades eles se sentirem incomodados com a presença de turistas, há um grande risco do ambiente na cidade ser desagradável.
Outro risco a que o turismo rural está sujeito é a ocorrência de sazonalidade. Para evitar os efeitos da baixa temporada, devem-se procurar alternativas para as atividades principais.
O que pode ser feito em baixas temporadas
a) Desenvolvimento de atividades pedagógicas para grupos de estudantes durante a semana nos períodos letivos, colônia de férias etc.
b) Realização de atividades de lazer e entretenimento para públicos específicos, como o da melhor idade, o infantil ou o de pessoas com deficiência.
c) Promoção de eventos, leilões, competições esportivas e outras.
d) Aluguel do espaço para realização de reuniões empresariais, confraternizações, eventos culturais etc.
e) Estabelecimento de parcerias com operadoras, propiciando novos fluxos.
A título de exemplo
No norte do Brasil, na Amazônia existem vários hotéis de selva, é possível escolher entre eles qual fica mais próximo do rio que você deseja conhecer. Alguns deles mantêm a proposta de integração com o meio. Apresentam instalações rústicas, dotas de confortos simples, mas que produzem a sensação de fazermos parte da floresta. Além dessas sensações, passeios para observação de pássaros e passeios de canoa por igarapés completam a viagem. Agregar atividades pode ser um atrativo a mais. Um gestor de visão pensará explorará as alternativas viáveis, desde que não agridam o meio no qual as atividades estão inseridas.
 
Fonte: Luiz Henrique Lopes

Comentários

  1. Adorei este sate e repassarei a outras pessoas, para q possa acessalo.

    ResponderExcluir
  2. Sou estudante do curso gestao ambiental em pirapora-mg e gostaria de saber mais informaçoes pelo meu email urbanismo@pirapora.mg.gov.br.Estou a fazer um trabalho sobre atividade que pode ser deenvolvida no meio rural,os beneficios, eos impactos e como podemos impdedilos ou ameniza-los


    Tenha uma boa tarde

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas