Doenças Transmitidas Pelo Solo



Assim como o ar e a água, o solo também pode ser contaminado e, consequentemente, transmitir-nos algumas doenças. Conheça algumas delas.
Tétano
Essa doença é produzida por uma bactéria, o bacilo do tétano (Clostridium tetani), e caracteriza-se por contrações e espasmos dos músculos do rosto, da nuca, da parede do abdome e dos membros. Esses espasmos são consequência da ação da toxina produzida pelo bacilo sobre o sistema nervoso.
O bacilo do tétano pode ser encontrado sob a forma de esporo (uma forma resistente do micróbio) nos mais variados ambiente: poeira, pregos enferrujados, latas, água suja, galhos, espinhos e no solo, principalmente quando tratado com adubo animal, pois esse bacilo está presente nas fezes dos animais domésticos e do homem.
A profilaxia do tétano depende, portanto, da melhoria do padrão de vida das camadas mais pobres da população. Depende também da eficiência dos programas de vacinação. A vacina contra o tétano está associada às da difteria e da coqueluche (vacina tríplice). Se o indivíduo não tiver sido vacinado, deve-se usar soro antitetânico e antibióticos, prescritos pelo médico. Posteriormente será aplicada a vacina.
Esquistossomose - Barriga-d'água
É o nome popular para uma doença que deixa a pessoa com uma barriga enorme. Esquistossomose é a outra denominação para esse mal. No Brasil, a barriga-d'água é provocada pelo Schistosoma mansoni, verme achatado (platelmito) que entra pela pele (pés e pernas), aloja-se no fígado, alimenta-se de sangue e chega a ter um centímetro.
O verme passa por várias fases. Ele começa como ovo, vira uma larva ao cair em rio ou lagoa, transforma-se em cercária dentro de um caramujo e chega à fase adulta no corpo humano, seu hospedeiro definitivo. A hicartone é uma droga que mata o verme. Ela é, porém muito tóxica ao organismo.
Os prejuízos causados pelo verme não se limitam a sua espoliativa, isto é, a sua capacidade de desviar os nutrientes do indivíduo doente para seu próprio consumo.
Complicações hepáticas e intestinais são muito frequentes, ocasionando diarréias, dores abdominais e rápido emagrecimento. Ao penetrarem na pele, as cercárias podem provocar forte reação alérgica, com sensação de coceira, vermelhidão intensa e dor.
A obstrução do sistema porta causa problemas circulatórios que, por sua vez, acarretam a congestão e o edema das paredes do intestino, e do estômago, bem como perda de parte do plasma para a cavidade abdominal (barriga-d'água).
Para controlar e combater essa doença, é de fundamental importância a melhoria das condições sócios-econômicas da população. Moradias de melhor qualidade, dotadas de instalações sanitárias adequadas, evitam que as fezes com os ovos atinjam os rios, impedindo a propagação do verme.
Amarelão
É uma doença típica de regiões de solo quente e úmido.
Entre outros sintomas, provoca uma forte anemia, que diminui a capacidade de trabalho dos indivíduos afetados.
O amarelão - nome popular mais comum da ancilostomose - ocorre frequentemente em indíviduos portadores de outras verminoses, fato que, somado às condições sociais precárias, contribui para a baixa produtividade do homem rural brasileiro.
O amarelão é produzido por dois tipos de vermes nematódeos: o ancilóstomo (Ancylostoma duodenale) e o necátor (Necator americanus). O primeiro é comum no sul e o segundo no norte e nordeste do Brasil. As larvas desses vermes crescem na terra úmida e quente e penetram pela pele dos pés descalços do indivíduo. Mais raramente, podem também ser engolidas.
 As larvas que invadem a pele alcançam um vaso sanguíneo ou linfático e sofrem um ciclo semelhante ao do Ascaris. Pela circulação chegam aos pulmões e atravessam a parede dos alvéolos, subindo até a faringe. Podem ser então engolidos e chegam ao intestino, onde completam o amadurecimento. Prendendo-se na parede desse órgão, provocam desnutrição da mucosa com intensas hemorragias.
Os indivíduos doentes libertam nas fezes os ovos resultantes da reprodução dos vermes.
Esses ovos contaminam o solo e dão origem às larvas, que penetrarão pelos pés de outros indivíduos, infestando-os. Desse modo, a doença vai passando de uma pessoa para outra.
O tratamento dos doentes deve ser feito com vermífugos, associados a uma dieta rica e mesmo a antianêmicos, já que a perda de ferro é muito expressiva.

Comentários

  1. Olá, bom dia! Primeiro parabéns por este espaço de cidadania. Encontrei aqui informações muito importantes que pretendo seguir ao longo do tempo. Eu tenho um blog, caso queiram conhecer fiquem a vontade. Preciso de um favor: não consegui configuar meu blog com um layout personalizado, conforme este aqui. Vocês poderiam me enviar passo a passo como incluir uma imagem de fundo no blog.Obrigado!
    Abraços

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas